O mundo está enfrentando uma crise causada pela dispersão rápida e descontrolada do coronavírus, vírus identificado como a causa de um surto de doença respiratória e detectado pela primeira vez em Wuhan, China

Quais os cuidados necessários para que a pandemia não prejudique a sua renda?

Atualmente, mais de 24 milhões de pessoas trabalham por conta própria no Brasil, representando mais de 26% da população brasileira. O trabalhador autônomo, ou seja, aquele que não faz parte do regime de contratação via CLT, deve estar atento aos riscos aos quais está exposto, principalmente em situações de emergência. 

Neste mês, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia de covid-19, conhecido como coronavírus. O diretor geral da instituição declarou que há hoje 118 mil casos em 114 países e que 4.291 pessoas perderam a vida por causa da doença.

Pandemia é o termo é usado para descrever situações em que uma doença infecciosa ameaça muitas pessoas de forma simultânea no mundo inteiro. Por isso, todos os países devem estar atentos às formas de prevenção, evitando, assim, que o contágio se espalhe ainda mais. 

Mas, você deve estar se perguntando, neste momento, o que uma pandemia viral tem a ver com empreendedorismo e trabalho autônomo, não é mesmo? 

Continue lendo a matéria e vamos te explicar quais são os cuidados e precauções necessários para que o coronavírus não prejudique a sua renda.

 

Como o acesso aos benefícios previdenciários pode me auxiliar nessa situação?

Asmáticos, pessoas com doenças do coração, fumantes, diabéticos, além de idosos. Esses são alguns dos grupos de risco que estão mais suscetíveis a pegar a covid-19. No entanto, mesmo não fazendo parte do grupo de vulnerabilidade, todos estamos sujeitos a nos infectar. 

Imagine só a seguinte situação; você, trabalhador autônomo e sem nenhum funcionário contratado, é infectado e recebe diagnóstico positivo para coronavírus. A indicação médica é que você evite contato com outras pessoas, além de permanecer em repouso durante um período de tempo.

A sua renda mensal depende diretamente do seu trabalho e, na maioria dos casos, o autônomo não tem aquela gordurinha extra, para utilizar em caso de emergência. Neste caso, você ficaria sem receber o salário, sendo duplamente prejudicado; física e financeiramente. 

Se eu ficar doente, como vou trabalhar? Como vou sobreviver? Essas são perguntas que assombram aqueles que dependem exclusivamente de sua atividade para conseguir o dinheiro para suprir suas necessidades mensais. 

No entanto, quando você é autônomo e opta por se formalizar como microempreendedor individual (MEI), o cenário é outro. Pagando, mensalmente, o boleto DAS, você tem direito aos benefícios previdenciários, como o auxílio-doença. 

Ao receber o auxílio-doença, a sua renda mensal não é prejudicada, caso, a partir de perícia médica, você comprove a incapacidade de desenvolver suas atividades profissionais por um período de tempo. 

Fernando Moreira, 56 anos, é artesão e, durante muito tempo, relutou em ser microempreendedor individual, trabalhando na informalidade. “Por muitos anos, pensei que não era necessário ter um CNPJ, já que o trabalho que faço não pede emissão de notas fiscais. Em 2018, sofri um AVC e fiquei impedido de trabalhar. Não recebi salário por alguns meses e acumulei uma dívida, pois precisava pagar o tratamento. Percebi o quanto é necessário trabalhar formalmente, com apoio da Previdência Social. Hoje, sou MEI e sinto que estou mais seguro, caso haja algum imprevisto de saúde”, conta o microempreendedor individual. 

VEJA: Para saber os requisitos e como solicitar o auxílio-doença, clique aqui

Quais estratégias devo adotar para que a dispersão do vírus não prejudique meus negócios?

Uma pandemia pode causar um choque de renda muito negativo, é fato. Por isso, o MEI deve se precaver não apenas em questões sanitárias, mas, também adotando estratégias de gestão para driblar a crise. 

É possível que seu empreendimento sobreviva às crises que, de forma recorrente, estão ao nosso redor. Para isso, o primeiro passo é realizar ações de curto prazo.

A equipe DicasMEI separou algumas dicas para que você esteja preparado, caso o número de contágios aumente expressivamente no Brasil. 

Controle os custos

Reduza os custos de sua empresa, mesmo que as vendas ainda estejam boas.Outra ação que deve ser feita com frequência é a vigilância rigorosa sobre o fluxo de caixa. Sem isso, não há como sobreviver à crise.

Quando você mantém o controle sobre todo o dinheiro que entra e que sai de seu negócio, e sabe exatamente de onde vem e para onde ele vai, é possível poupar cortando os gastos supérfluos. 

Invista em resultados rápidos 

Quando nos encontramos em situações de riscos, não há como pensar no que queremos conquistar lá na frente. O ideal é que você dedique sua criatividade produtiva para as soluções mais imediatistas, combinado?

Identifique novas oportunidades no seu público-alvo de clientes

Inovação em tempos de de crise sempre é algo que pode ajudar seu negócio. Para isso, não olhe apenas para dentro da sua empresa, seus clientes estão passando pelo mesmo problema e também precisam desesperadamente reduzir seus custos e otimizar seus processos.

Viu só? 

Em meio à crise, costumamos nos desesperar, deixando de perceber os caminhos possíveis para sobreviver, quando o caos passar. A situação é, de fato, preocupante. Mas, não criemos pânico. 

É hora de cuidar de si, do coletivo e da sua fonte de renda de forma responsável e, acima de tudo, consciente. Lave as mãos, evite aglomerações, informe-se por meio de canais confiáveis e trace a melhor estratégia para proteger sua renda do impacto gerado pela pandemia. 

#VamosJuntos

Para ler mais matérias como essa, continue navegando em nosso blog.