A profissão de chapeleiro independente é antiga e designada àqueles que desenham, moldam e confeccionam, justamente, chapéus.

Embora não tão comum nos dias atuais, a profissão de chapeleiro independente vem sido resgatada e é tão importante como as demais atividades exercidas no País.

Esta ocupação está diretamente ligada à moda. Há uma preocupação com acabamentos e detalhes que tornam cada peça, cada chapéu um artigo único.

Quer saber tudo sobre a profissão de chapeleiro? Confira a seguir!

Chapeleiro(a) pode ser MEI?

A boa notícia é que sim, chapeleiro(a) pode ser MEI. Isso porque esta ocupação está enquadrada no Código Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), uma sequência numérica imprescindível para quem quiser se tornar pessoa jurídica.

O CNAE de chapeleiro independente é 1414-2/00 – Fabricação de acessórios de vestuário, exceto para segurança e proteção, o que inclui não somente a confecção de chapéus, como de leques, xales, gravatas e lenços também.

Ao longo deste texto será possível visualizar a tabela com a hierarquia completa deste CNAE.

Dúvidas comuns sobre a atividade de chapeleiro(a) independente MEI

A profissão de chapeleiro(a) independente era mais comum antigamente, quando ninguém saia de casa sem seus respectivos chapéus. Era uma atividade bem popular e engana-se quem acredita que caiu em desuso.

O chapeleiro independente continua impondo presença no mercado de trabalho. Prova disso é que a profissão foi habilitada para ter o registro de Microempreendedor Individual.

No entanto, sabemos que todo o processo de formalização pode ser confuso no começo. Por isso, preparamos tudo o que você precisa saber sobre o chapeleiro independente MEI. Confira!

– Quais as formas de atuação do chapeleiro(a) independente MEI?

O chapeleiro(a) independente MEI pode atuar em duas frentes: a primeira delas é tendo o seu próprio ateliê e materiais para a confecção dos chapéus.

A segunda possibilidade se refere ao segmento da indústria têxtil. É possível participar de grandes empresas e, quem sabe, até ter seus produtos estampados em modelos nas passarelas.

Como abrir um MEI para chapeleiro(a) independente?

Abrir o MEI de chapeleiro não tem segredo. Antes de mais nada você precisa se certificar de que cumpre três condições básicas da categoria:

  1. Seu faturamento anual é igual ou inferior a R$ 81 mil?
  2. Você não é sócio, dono ou administrador de outra empresa?
  3. Seu negócio tem zero ou, no máximo, um funcionário contratado?

Se a sua resposta foi sim para as três perguntas, você está apto para obter o registro.

Para tal, será necessário acessar o Portal do Empreendedor, no site oficial do Governo Federal.

Lá você deve clicar em “Quero ser MEI” e depois em “Formalize-se”. O cadastro é feito 100% online e é totalmente gratuito. Dados como seu nome completo, CPF, RG e endereço são primordiais para concluir o registro. É neste momento também que você deve informar o CNAE de chapeleiro corretamente.

No final deste processo, você já vai acessar uma tela com o seu Certificado MEI e CNPJ incluso. O último passo é ir até a prefeitura de sua cidade registrar o número de sua microempresa no município.

– Como funciona um MEI para chapeleiro(a) independente?

O MEI de chapeleiro independente implica em benefícios e obrigações. Depois de estar devidamente registrado, o profissional contribui para o INSS. Como? É que chapeleiro(a) independente paga imposto.

Claro que os valores são reduzidos, mas mensalmente o profissional desta categoria deve pagar o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). É nele que estão inclusas as tributações como o ICMS, ISS, entre outras.

E lembra que comentamos no tópico anterior que o chapeleiro independente MEI não pode ultrapassar o faturamento de R$ 81 mil ao ano? Pois é, o Fisco controla essa renda por meio da Declaração Anual de Faturamento, outra obrigação do MEI que deve ser entregue até o dia 31 de maio de cada ano.

Por outro lado, o chapeleiro independente também acessa uma série de benefícios como a aposentadoria por idade, auxílio-doença, pensão por morte e salário-maternidade. Já em relação à parte financeira, o microempreendedor individual consegue linhas de crédito com juros mais baixos justamente pelo cargo que ocupa de pequeno empresário.

Tudo isso sem contar na possibilidade de emitir notas fiscais, o que dá ainda mais credibilidade ao seu negócio.

– O que não se encaixa nas atividades de chapeleiro(a) independente MEI?

O CNAE de chapeleiro inclui a confecção de diversos produtos, como vimos anteriormente. No entanto, ele não abrange a fabricação de calçados, luvas, capacetes e outros acessórios de segurança pessoal e profissional.

Tais atividades também podem obter o registro de microempreendedor individual, porém com um código de atividade econômica distinto.

Atividades permitidas para Chapeleiro(a) independente MEI

Código Descrição
1414200 Preparação de peles
1414200 Fabricação de cintos de plástico
1414200 Fabricação de bonés de qualquer material
1414200 Fabricação de cintos de tecidos
1414200 Fabricação de luvas de tecidos, inclusive tecidos de malha
1414200 Fabricação de chapéus e suas partes, de qualquer material
1414200 Fabricação de xales e echarpes
1414200 Fabricação de cintos de qualquer material, para vestuário
1414200 Fabricação de peles finas de adorno
1414200 Fabricação de suspensórios de qualquer material
1414200 Fabricação de leques
1414200 Confecção de luvas de couro (exceto para uso profissional e esportivo)
1414200 Fabricação de boinas e gorros
1414200 Fabricação de acessórios do vestuário descartáveis confeccionados com tecidos
1414200 Fabricação de gravatas
1414200 Fabricação de lenços de tecidos, para qualquer uso

CNAE Chapeleiro(a) independente MEI

Hierarquia de atividades
Seção C Indústrias de transformação
Divisão 14 Confecção de artigos do vestuário e acessórios
Grupo C Indústrias de transformação
Classe 14142 Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para segurança e proteção
CNAE 1414200 Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para segurança e proteção

Ferramentas para a atividade de chapeleiro(a) independente MEI

O chapeleiro independente MEI irá precisar de um local de trabalho, seja próprio, alugado ou de uma empresa para a qual ele trabalha. Já em relação às ferramentas, será preciso ter em mãos diferentes tipos de tecidos, fitas, tesoura, trena, entre outros artigos.