Entrevistamos Frederico Torres, economista e consultor financeiro do Educando seu Bolso, para te mostrar as vantagens de contar com uma plataforma de educação financeira, quando se é microempreendedor individual 

Uma das maiores dificuldades de quem começa a empreender e trabalhar de forma autônoma é saber gerenciar as finanças. Escolher bons caminhos para manter a saúde financeira da empresa é um pré-requisito indispensável para que sua ideia empreendedora prospere. 

Para facilitar a sua vida, apresentamos o Educando seu Bolso, uma plataforma de educação financeira que te apresenta ferramentas para descobrir quais são as opções com melhor custo benefício, a partir do perfil da sua empresa. Afinal de contas, cada modelo de negócio tem suas particularidades e isso influencia diretamente nos processos de tomada de decisão. 

VEJA: Clique aqui e conheça os simuladores do Educando seu Bolso, que são gratuitos e podem te ajudar a escolher os melhores caminhos para o sucesso do seu negócio 

Continue a leitura e confira a #EntrevistacomEspecialista com Frederico Torres, economista e consultor financeiro do Educando seu Bolso, na íntegra: 

Como surgiu a ideia do Educando seu Bolso? 


Da frustração. De ver uma população em média pobre desperdiçar tanto dinheiro com decisões financeiras ruins. Ao mesmo tempo, víamos que os poucos que supostamente trabalhavam “educação financeira” faziam isso ou de forma muito vaga ou meramente como uma forma de empurrar seus próprios produtos. Sabíamos que dava pra fazer mais, como temos feito nos últimos anos.

Como o Educando seu Bolso pode ajudar, especificamente, o microempreendedor individual? 


Milhões de MEIs contratam empréstimos, maquininhas, seguros, investimentos, financiamentos, contas digitais, cartões, links de pagamento, por exemplo, sem conhecimento suficiente. Este comportamento é explicado, principalmente, pela falta de educação financeira e pela dificuldade de acesso a dados. A gente vai buscar os dados, garimpa, faz as contas e ajustes, compara e divulga, de maneira que o cidadão consegue entender. Temos muito conteúdo educacional como cursos, fazemos avaliação de produtos, criamos rankings e simuladores com transparência e linguagem simples. A gente faz aquilo que na maioria das vezes o MEI não tem tempo pra fazer.

Atualmente, o perfil do microempreendedor no Brasil aponta que grande parte dos inscritos na categoria não tem experiência com empreendedorismo e organização de finanças. Por que, afinal de contas, é tão importante aprender conceitos de educação financeira para prosperar como MEI? 


É fundamental para seu sucesso, para você entender a função por exemplo de manter um capital de giro razoável, ou de controlar bem seu fluxo de caixa. Pra você ter tranquilidade de passar por uma fase ruim, como essa que estamos atravessando com a pandemia, ou de tomar um calote, sem ter que parar de funcionar. Por exemplo, não adianta nada você planejar ter uma margem de lucro de 25% se o grosso das suas vendas é parcelado em 12 vezes e seus custos são devidos imediatamente. Sem capital de giro, você terá que antecipar esses recebimentos futuros e isso poderá te custar quase 30%. Pronto, lá se foi todo seu lucro e mais um pouco.

Se você pudesse dar um conselho financeiro para quem se tornou MEI recentemente, qual seria ele? 


Primeiro daria os parabéns por empreender e se formalizar. Duas decisões na direção correta a meu ver. Agora, entrando no mérito do conselho financeiro, sugiro que tente fazer o planejamento financeiro do seu negócio, para 12 meses, por exemplo, da forma que for, seja em papel de pão ou em planilha. É um exercício interessante, que permite aprendizado, reflexão e reconsideração de certos aspectos do negócio. Qual é o meu custo? Quem são meus concorrentes? Quanto eles cobram? Meu produto ou serviço é percebido como diferente? Posso cobrar mais por isso? Que preço vou praticar? Que canais de venda usarei? Terei preços diferentes dependendo do canal de vendas? Quanto estimo vender? Quando vou receber dos meus clientes? Quando terei que pagar meus fornecedores ou funcionário? E se não receber ou tomar um calote? Pode parecer coisa demais, mas não é. Ah, e seja conservador nessas estimativas. Torça pelo melhor e prepare-se para o pior.

Conte um pouco mais sobre os simuladores do Educando seu Bolso. É uma ferramenta de fácil utilização mesmo para aqueles MEIs que não têm tanta intimidade com recursos tecnológicos? 

É de fácil utilização sim. Como tudo que fazemos, não é preciso entender o financês, o economês. Basta nos dizer o que você deseja ou precisa. Por exemplo, quer uma maquininha mas está perdido nesse mar de ofertas? Nos diga quanto fatura em vendas a crédito, débito e parcelado e nós te dizemos que empresa tem a solução mais barata pro seu caso. Além de preço, você prefere que sua maquininha tenha alguma funcionalidade a mais, como pagamento por aproximação, seja sem fio, imprima recibo em papel, bateria de alta duração, sistema de gestão, etc… basta marcar nossos filtros avançados que a nova pesquisa só vai retornar resultados que atendam a sua exigência. O mesmo vale para empréstimos, investimentos, financiamentos de carros e imóveis e contas digitais.

Compartilhe conosco algum case de sucesso envolvendo pequenos empreendedores. 

Nesses anos de EsB dá pra citar alguns exemplos de como possibilitamos boas economias ao nosso público.

No front das maquininhas, auxiliamos na recuperação de alguns viciados em antecipação de recebíveis e de outros que sequer sabiam que o painel de gestão da maquininha dele antecipava automaticamente recebíveis futuros. Eles deixaram de perder dinheiro em vendas parceladas – a antecipação do parcelado em 12 vezes custa entre aproximadamente 10% até quase 30% dependendo da maquininha. Economizamos dinheiro de milhares de empresários que usaram nosso simulador ao sugerir a contratação de mais de uma maquininha. O uso de dois ou mais terminais, cada um na sua modalidade mais barata, permitiu economia em média de 300 reais por mês no limite superior de faturamento do MEI quando comparado à marca líder para o segmento. Apontamos a importância da conciliação, possibilitando aos MEIs saberem pelo que estão recebendo e se não estão sendo cobrados indevidamente. Infelizmente ainda há um volume não desprezível de erros nas cobranças das credenciadoras de cartão. 

Na área dos seguros, tornamos claro ao MEI que às vezes ele tem um seguro que não precisa, mas não tem outro que precisa. Exemplos: Ele contrata um seguro de proteção de cartões ou um seguro de vida de rede de lojas de departamento, mas não tem um seguro auto ou economiza contratando Proteção Veicular, sendo que o carro é parte importante do negócio. A demora no reparo ou ressarcimento de sinistro impede o exercício pleno das atividades. Outro caso são os MEIs cujo ponto é alugado, que não tem acesso a fiador e contratam o seguro fiança. Eles incorrem em despesa desnecessária de até 20% do valor do aluguel se comparada a aplicar em um Título de Capitalização como forma de garantia.

No que tange aos empréstimos, auxiliamos empresários que têm aplicações em valor superior ao capital de giro e que rendem bem menos do que o custo de suas dívidas, sugerindo quitação antecipada e economia de juros. Explicamos porquê não vale a pena para um MEI pagar prestação de consórcio se ele está com o negócio descapitalizado. Nossas ferramentas de empréstimos oferecem a possibilidade de linhas mais baratas e adequadas a finalidade do crédito, como por exemplo a substituição de um crédito pessoal por um refinanciamento de veículo e consequente redução de custo financeiro a 1/3 do original. 

Finalmente, temos ajudado bastante na separação do que é pessoal do que é do negócio. Para isso, nosso simulador de contas digitais resolve o problema do Microempreendedor que ainda paga pacote de tarifas desnecessário operando através de conta ou instituição inadequada. Essa separação e organização tem se mostrado passo relevante para garantir acesso a crédito, pois grande parte das recusas tem como razão descuido e despreparo do solicitante. Por isso temos ressaltado a importância de se preparar já. Formalize-se, cumpra com suas obrigações, verifiquem restrições na PF e criem histórico, mesmo que ainda não estejam precisando de crédito.

E aí, conseguimos te ajudar?

Para ler mais entrevistas como essa, continue navegando no blog DicasMEI.